Já é Amanhã

JÁ É AMANHÃ
ESTADO ZERO

TEATRO PARA A INFÂNCIA

24 MAR - 26 ABR

TER a SEX - 10H30 [SESSÕES ESCOLARES]Sob marcação prévia. Clique no link para entrar em contacto connosco
SÁB - 16H00
DOM - 11H00

SALA EXPERIMENTAL
5€ a 8€ | DESCONTOS APLICÁVEIS

6€ [PREÇO ÚNICO SESSÕES ESCOLARES]

30 MINUTOS
M/3

Bilhetes disponíveis em:Bilheteira Online - Comprar Bilhetes

Este espetáculo apresenta-nos, através da relação das duas personagens – um homem com setenta anos e um jovem rapaz – a questão milenar do conflito inter-geracional. Estas duas personagens cruzam-se por um acaso. De forma lúdica, divertida e simples, é aqui demonstrada a confiança que estas duas personagens constroem uma com a outra, no sentido de uma maior abertura de ambas para alargar o conhecimento sobre a vida. A partilha da infância de cada um: o que o homem tinha para brincar, o que o jovem rapaz tem agora e o segredo que existe no ser humano na relação com o mundo e com o “outro”.  

A Estado Zero foi fundada a 3 de Junho de 2016 e é presidida por Tiago Mateus. No ano da sua fundação estreou “O Actor que Pensava que o Teatro era a Vida”,com texto, encenação e espaço cénico de Tiago Mateus e interpretação de David Pereira Bastos. Espetáculo que fez carreira em Lisboa e que contou com várias apresentações pelo território nacional. Em 2017 apresentou duas criações de Tiago Mateus: “Cósmicos”,com Nelson Boggio e Sofia Dias, apresentado em Lisboa e em Proença-A-Nova. E “O Faroleiro”,com David Pereira Bastos e Flak, no contexto do festival Jardins Efémeros, em Viseu. Em 2018, numa coprodução com o Teatro Nacional D. Maria II, a companhia apresentou o espetáculo “À Espera de Godot”,com interpretação de Rui M. Silva, Bruno Simão, David Pereira Bastos e Miguel Moreira, sob a direção artística do ator e encenador David Pereira Bastos. Este espetáculo terá a sua reposição no Teatro Nacional D. Maria II, na Sala Garrett. Em 2019, com direção de Tiago Mateus, a companhia apresenta, no CAL – Primeiros Sintomas, “Tríptico de Fé, Desesperança e Superação”,com interpretação de Carla Bolito, João Cachola e Sofia Fialho.

Texto, encenação e espaço cénico TIAGO MATEUS
Interpretação GONÇALO LELLO e LUÍS SIMÕES
Banda sonora original RITA CARDOSO e FLAK