MAR DE SINES – A RESILIÊNCIA DAS GENTES DO MAR

MAR DE SINES – A RESILIÊNCIA DAS GENTES DO MAR
de Diogo Vilhena | Ciclo Alentejo

CINEMA

FEV 29

SÁB – 21H00

SALA DE CINEMA
ENTRADA GRATUITA

DOCUMENTÁRIO | 71 MINUTOS
M/12

Sines, complexo industrial e porto atlântico. Os contornos dos grandes navios no horizonte já se tornaram uma imagem familiar. Mas, por entre estes gigantes, resiste uma geração que representa a pesca tradicional e resiliência de uma atividade que teima em resistir à passagem do tempo. Entre tradição e inovação, a pesca continua a ser em Sines uma força viva.
Durante um ano, a equipa de Mar de Sines percorreu esta costa e conviveu diretamente com as suas comunidades costeiras, registando a forma como estas vivem com o mar e os seus recursos.
O mar é o ponto de atração para onde todos os protagonistas convergem. Este mar é simultaneamente o adversário a enfrentar e a figura paternal que dá o sustento.
O filme parte à procura das estratégias que estas comunidades adotaram para viver de um meio inacessível e inóspito. Desde uma simples jangada de canas, passando pelos mariscadores e pelas artes mais complexas, como a rede de tresmalho e o cerco, descobrimos a importância dos gestos, das sonoridades e dos artefactos que hoje se encontram no limiar da existência, como a zinga, o chui, o ribileva, os alcatruzes de barro ou os caixotes de aparelho.
Partindo da memória coletiva, narrada na primeira pessoa, num processo de cinema com a comunidade, são retratadas três gerações que fizeram da pesca a sua vida.

Promotor CÂMARA MUNICIPAL DE SINES
Realização DIOGO VILHENA
Produção ANTÓNIO CAMPOS
Banda Sonora Original CHARLIE MANCINI

DIOGO VILHENA
Diogo Vilhena é natural de Vila Nova de Milfontes, Alentejo Litoral. Cresceu entre o rio, o mar e a planície, aprendendo a linguagem da terra e dos costumes entre o monte do seu avô e o atelier de costura da sua avó. Ligado à área audiovisual desde 2002, profissionalmente desde 2008, licenciando-se em Som e Imagem pelo IPL e desde então ligado à imagem institucional e corporativa, realizando documentário, publicidade, informação e ficção. Recebeu vários prémios nacionais e internacionais, destacando-se sobretudo nos trabalhos com as comunidades como é o caso do Silletto Prize para o Museu de Leiria.